Detesto, mas amei

As dez coisas que a gente mais finge que acredita, por Fernanda Young:

1. Que dinheiro não traz felicidade;

2. Que não tem medo da morte;

3. Que o amor é para sempre;

4. Que existe fidelidade;

5. Que ovo não faz mal; (ontem mesmo eu comi dois deles, mexidos com cebola e manteiga. Hmmmm… Detalhe irrelevante: era meia noite)

6. Que dar só um traguinho não faz voltar a fumar;

7. Que há político brasileiro honesto; (olha pois eu acho que tem. Esse tipo de frase é tããããão classe mérdia, tão V*eja…)

8. Que envelhecer pode ser bacana;

9. Que não é viciada em compras; (eu não sou. Mas comprei uma sapatilha linda ontem. Por quê? Oras, porque era absolutamente imprescindível!)

10. Que o ponto G existe.

***************************************************

Acho a Fernanda Young uma chata de galocha, uó mesmo. E nem vou me dar ao trabalho de explicar; qualquer entrevista que vocês leiam dela será auto-explicativa. Mas adorei essa listinha (porque eu amo listas…), com algumas ressalvas.

***************************************************

Ah. Pedi prorrogação do prazo de defesa. Conversando com a minha co-orientadora, chegamos à conclusão de que o meu texto ainda precisa amadurecer muito. E nem se trata de perfeccionismo, mas de senso de realidade. Eu não posso enfrentar uma banca com tantas questões ainda por resolver. Fora que eu ainda preciso dar conta de ler boa parte do meu corpus. Ao contrário de teses empíricas, onde existe um trabalho ‘de campo’ de construção de dados, o meu trabalho é teórico. É um estudo conceitual, então o meu corpus, ou seja, o que eu vou analisar, são textos. E ainda há uma enorme parte deles que espera para ser lida. Por tudo isso, vou pedir a tal prorrogação. Já enviei um email à orientadora que está dando um curso em Estocolmo, para me explicar e comunicar da minha decisão. Não pedi ‘permissão’ para fazer isso porque, como elas sempre dizem, o trabalho no final das contas é meu. Sou eu que preciso ler o meu texto com olhos críticos e avaliá-lo – e é o que estou fazendo. No popular, eu diria que é ‘a minha bunda que está na seringa’, tendeu? Sou eu que vou ser jogada aos leões – então preciso estar, pelo menos, bem armada. (Acho que depois que acabar isso vou escrever um livro de auto-ajuda: ‘Da tese para a vida’, hahahahaha)

Advertisements

7 Comments

Filed under Uncategorized

7 responses to “Detesto, mas amei

  1. Su

    Oi Cris, acho que isso é motivo de alívio pra você, né? Então comemoremos! Pra quando você pensa em marcar? Beijos e continuo torcendo por você!!!
    PS: Achei graça da idéia do livro de auto-ajuda… L. ontem ainda comentou a mesma coisa, mas com um título diferente, ahahahaha.

  2. eu posso defender até julho, su. claro que eu gostaria de defender logo e me ver livre, mas não posso agir de maneira irresponsável. eu tenho trauma da minha defesa de mestrado, mas o que ocorreu foi uma briga interna entre a minha orientadora e uma das componentes da banca e eu levei as sobras. mó bafão. eu não tô pensando em relaxar, nem empurrar com a barriga. mesmo com o início das aulas, quero manter um ritmo regular de trabalho. eu só preciso de um pouco mais de tempo para amadurer as minhas questões. e depois você me conta sobre o título do seu livro, tá? quem sabe até a gente não poderia escrever um a 4 mãos, hein? hehehehehe. bj grande!

  3. arthur

    Eu não suporto a Fernanda Young, então já começo olhando a lista dela com desprezo. E por isso mesmo só vejo superficialidades generalista de uma metida.

    Tenta imaginar que mesmo com a prorrogação, você ainda tem que defender em abril, e depois que abril passar, tenta imaginar que você está atrasada, assim, talvez, fique mais fácil de não se acomodar.

  4. 1. Dinheiro não traz, manda buscar.

    2. Quem vai à Justiça pedir eutanásia não tem medo de morte;

    3. Ovo não faz mal se não comer todo dia;

    4. Ah, eu já voltei a fumar 3 vezes por causa de um traguinho – alguém acredita nisso ainda?

    5. Eu conheço tipo uns 5 políticos honestos.

    6. Envelhecer é bacana!!! Até os 30, claro.

    7. A gente não é viciada em compras; a gente só se ama, e afinal amor é pra sempre, então sempre tem um motivo pra gente se agradar.

    8. Ah, ponto G existe sim. Tá logo ali…

  5. putz, como dizem por aqui ‘eu odilho fernanda young’, mas isso nem merece ser discutido ou comentado…. rs

    baby, sobre a defesa, faça tudo pra se sentir segura, pegue o tempo q precisar e continuaremos aqui te apoiando… sei q não é empurrar com a barriga e até tem sim um toque de perfeccionismo, mas completamente compreensível e aceitável, então, vai lá.

    beijos

  6. Haha adorei o título do seu futuro livro. Também estou a sofrer, só que ainda tô no tcc hihihi
    =)

  7. filha, já falei pra sentar essa bunda pra estudar e sair do msn! hehehe
    vai terminar essa… tese de uma vez por todas, rapá!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s