Twitter or not twitter

Eu gosto de Tuíter. Adoro mesmo, igual a todas as outras tranqueiras internéticas que me prometem fazer esquecer que eu tenho uma tese a terminar. E vou dizer a vocês, como está difícil terminar. Um parênteses. A minha tese é teórica. Ou seja, não há dados empíricos para analisar. O que eu analiso são textos, então o meu embate é basicamente com palavras. Às vezes eu tenho a impressão de estar na frente de um daqueles muros enormes de castelo medieval, impossíveis de se contornar, mais impossíveis ainda de se transpor, compactos e protegidos, sem deixar uma brecha sequer a qualquer interpretação. E nisso vão-se os dias. Uma semana, duas sem que uma frase que preste surja pra me dar um alento. Aí entram as tranqueiras. Por que, na hora em que a tela branca impõe o desafio de preenchê-la, o cursor piscando por horas, implorando por uma linha preenchida, o que se faz? Eu vou por aí. Se alguém por mim perguntar, diz que fui passear. Respostinha infame, mas bem merecida. Melhor, diz que fui tuitar.

Tuíter também serve de desculpa para alguém que claramente tem um déficit sério de atenção, como eu. A cada meia hora eu tenho um motivo mais do que justificado pra parar tudo e ver as últimas atualizações. É algo imprescindível na vida e alimenta aquele instinto procrastinatório que acomete todo o doutorando em fase terminal e com um mega-bloqueio para escrever análises.

Além do mais, só com o Tuíter posso divulgar pérolas como essa:

“Eu te amo, só não te quero porque sou gay.”

Foi a melhor e mais sincera declaração de amor que eu recebi em anos. Dita por um amigo delicioso e witty. Depois dessa juro que vão ter que rebolar muito pra me ganhar. Não vai ser qualquer cantadinha/xaveco que vai me comover, não.

Advertisements

7 Comments

Filed under Uncategorized

7 responses to “Twitter or not twitter

  1. Arthur

    Tou de mal da senhorita. Vc bloqueou o seu twitter, assim o reader não consegue mais o ler, e como a página do twitter é bloqueada aqui, não posso ter mais acesso a essas suas perolas diárias, hmmfff.

  2. Concordo com a pessoa acima.
    Injustiça com os excluídos dos twitter. rs

    Realmente, essa foi imbatível.
    Quase uma releitura do “I go gay for”. rs

    Beijo, Cris!!!
    Boa sorte aí com os “muros”. 😉

  3. Essa frase do seu amigo twitteiro é ótima. Já disse coisa parecida, mas foi mais ou menos assim: eu sou louco por você, queria muito você todinha, mas nem tento porque sou brocha.
    Haja bom humor com o amor.

  4. thuuuur, fica de mal nao, minino. tive que bloquear os acessos ao orkut e tuitter por conta de aluninhos que começaram a fuçar a minha vida pela blogosfera, hehe. eles sao terriveis!

    stella, pior que eu acho que voce conhece o autor da perola, hahahaha.

    cajuba, essa tua foi melhor que a do meu amigo. bjs, lindos.

  5. é, sinceridade acima de tudo.
    e tenho q concordar com vc, a do cajuba foi ótima.
    bjs

  6. Nossa, eu mega viciei em twitter. E olha que eu achava meio bobo antes de entrar, mas não saio de lá. E acompanho tudo por lá. E me sinto desinformada quando não posso entrar. Muito louco.

  7. haline, somos duas então! [eu checo toda hora, neurose pura, vou te dizer. ou, como diz a tina, ‘ideiafix’, hahahaha] bjs

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s