Perdidos e achados

Eu não sei porque guardo essas coisas. Essa conversa, por exemplo. Calculo que esteja guardada há uns 3 anos. Deve ser porque eu acho divertido abrir o computador assim, num sábado frio e chuvoso, e dar de cara com coisas das quais já esqueci. E rir muito delas. Deve ser porque eu tô de saco cheio de tudo. E os nós dos meus dedos não param de doer.

Quero mais falar de tese não. Quero meus amigos divertidos falando bobagem, quero rir com eles, quero ter obrigações só para ter o prazer de ser má e displicente e não cumpri-las.

A minha amiga, essa da conversa.  Eu não a vejo há alguns anos – e não por força da distância. Ela mora aqui na Cidade Maravilhosa. Mas são tantos compromissos, a vida é esse redemoinho tão vertiginoso que a gente não se encontrou mais. Ontem lendo um post triste no blog dela, lembrei das nossas conversas. E hoje, ao abrir pastas do computador que não eram acessadas desde tempos imemoriais, dei de cara logo com isso. Conversa boba, divertida; um punhado de tontices e frases sem sentido pra quem está de fora. Mas nessas horas tristes e duras – em que o rigor, a frieza e a lógica me cobram uma conta altíssima – que eu gosto de pensar em como preciso disso. E, olha, amiga, a gente envelheceu, mas foi só um pouquinho. Ainda dá tempo de fazer tudo. Vamos? =)

*******************************

Cris: (…) essa semana eu fui pra uma seleção de professores (…).

seis professores e um coordenador numa sala. o dito cujo me vem com umas perguntas (em inglês) do tipo: “defina você como professor em uma palavra”

hein? uma palavra: @#$%&*@@#$ (= palavrões impublicáveis), @#$%&*&#@$ (= MAIS palavrões impublicáveis), que isso?

Amiga: Eu sei o que é. A gente se acha o fim. Mesmo estando as coisas encaminhadas, a gente se pergunta porque não está casada com algum superstar ou viajando para o exterior no fim do ano, ou porque a gente não pode estar na entrega do Golden Globe dia 15.

Cris: me coloca numa sala de aula e me manda dar aula, pronto,. agora ficar com essas seleções de merda.

claro que selecionaram dois seres com quase metade da minha idade

Amiga: Adoro aquelas do tipo “Se você fosse um tripulante da Galactica, qual seria?”

Cris: pô, essa é foda

ah, e um dos seres ainda nem saiu da faculdade.

leeeendo, né?:

Amiga: Ou “Faça uma redação sobre o impacto da criação das lagartas de peito sedoso para as plantações de capim limão nas pradarias asiáticas”.

Cris: ou então: “fale sobre a importância do galho seco na vida sexual do macaco”

Amiga: Ui, essa é interessante.

Macaco não é primo genético do homem? Então – serve pra alguma coisa.

Cris: num é?

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Amiga: Quer alugar uma casa em Búzios por uma semana?

Acho que consigo um preço baratinho com a X (se é que ela não empresta a casa pra gente).

Cris: SÉRIO?????

demorô

de repente dá pra fazer os dois.

búzios e sumpaulo? perfeito

Amiga: Hum, que chique. São Paulo e Búzios. Só falta Nova York pro circuito Elizabeth    Arden.

Cris: ahuahauhauhauaha

Amiga: Ah, esqueci de “Milano”

Cris: vou te contar um segredo: a gente vai pro chile. tem umas milhas acumuladas.

mas é só em março

(…)

Amiga: A gente? Eu e você? E o Y? E o Z?

Ah. eu pensei que era eu e você.

Você sabe, eu estou treinando pra ser lésbica. Muito mais prático, muito melhor.

Duas mulheres pra cuidar das meninas, companhia sempre perfumada, dá para trocar roupas e sapatos – muito melhor que homem…

Aí eu achei que eu e você… Bom, você e eu… Sei lá, a gente no Chile, cercado de chilenos e chilenas…

😛

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Amiga: já resolvi: quero ir pra San Diego.

Você conhece alguém lá?

Cris: poizé: eu tô falida e ainda quero ir pro chile.

(…)

nope

Amiga: Ninguém?

Cris: conheço gente em londres, serve?

Amiga: Você é tão internacional e não conhece ninguém?

Essa gente em Londres conhece gente em San Diego?

Se não conhece, não adianta.

Londres não tem vista pra San Diego.

Cris: mas pq vc cismou com san diego, posso saber?

é lá que o jack bauer mora?

Amiga: E em Londres em conheço uma pá de gente – e mais em Estocolmo, Paris, Barcelona, Nova York, Washington…

Cris: ah, sim depois eu é que sou internacional, né?

sei, cretina.

Amiga: Não, Jack Bauer (ele é formado em Literatura Inglesa, sabia? Antes de começar a explodir bombas e coisas assim) mora em Los Angeles (passou um tempo na China, mas tá de volta).

Buenos Aires, Cidade do México, Miami…

Mas em San Diego não conheço ninguém.

Eu antes queria ir pra Miami fazer uma tatuagem na Miami Ink (aquele do People & Arts) mas desisti. Sai muito caro.

Cris: louca

Amiga: Por quê? Estou começando a correr atrás dos meus sonhos doidos.

Quem sabe algum não se realiza?

Cris: isso é ótimo

eu acho que vou terminar a vida de mochila nas costas, sem dinheiro mas feliz da vida

Amiga: Baixei toooodos os clipes e músicas e arquivos doidos do Journey, Eric Clapton, Bon Jovi, The Commitments e outros.

Entrei numa comunidade de fãs do Journey onde me descabelo por aqueles quatro (que usavam as calças na linha peitoral) que nem uma adolescente – claro, abri meu perfil como uma garota de 18 anos. Aí posso falar tooodas as barbaridades que me vêm na cabeça.

E morro de rir comas respostas, os comentários nos fóruns… Um exemplo: “Se você pudesse sair com o Neil Schon, o que você faria?”

Respostas tããão libidinosas! E o cara tá uma baleia assassina, hoje. Baleia com cara de travesti, que é o mais triste.

Cris: journey eu não conheço.,

Amiga: Rock progressivo muito bom.

Mas aquele visu fim dos anos 70/ anos 80 é de rachar…

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Amiga: Então tá.

O café está bão?

Cris: o café ESTAVA ótimo

já tomei.

e com bolinho marmorizado que eu fiz onti.

Amiga: Mal educada.

Cris: hehe.

Amiga: Nem oferece.

Cris: eu ofereço uma vez só, num aceitou, finou-se.

(…)

Amiga: (…)

As transmissões se encerrarão em sete minutos. Tenho que sair e ir pra casa.

Cris: tá bão.

ficamos assim: eu ligo pra nossa amiga (…).

e fico te devendo um café com bolo.

oquei?

Amiga: Tem um fórum que está discutindo qual é o melhor ângulo do Steve Perry no clipe “USA for África”.

A lista de sandices é enooorme…

Cris: ahuahauauhauauhahaua

Amiga: E o clipe tem mais de 20 anos!

Cris: como diz a janice: OH MY GOD!

Advertisements

10 Comments

Filed under Uncategorized

10 responses to “Perdidos e achados

  1. PD

    Viver de conversa fiada. Este é o meu projeto para o futuro.
    Tem coisa melhor que isto? Tem, mas não cabe num blog sério como o seu…

  2. esse blog aqui? sério? ah, você bebeu, querido. varsol on the rocks, rs. mas olha, mesmo que o blog seja sério, a dona dele não é. ela adora uma conversa fiada 🙂

    bjs

  3. gostei da visão dela sobre virar lésbica, não tinha pensado nisso de pegar roupitchas emprestadas… kkk
    beijos

  4. poizé, menina, não é que tem mais essa vantagem? 😉

    bjbjbjbjbj

  5. é, só precisa se preocupar em achar alguém do mesmo naipe né? kkk
    bjs

  6. aí é que está o problema, amigam 😦

  7. Adoro esses papos que vão ficando engraçados a medida que a gente “cria” na conversa. A bobeira que vira quase uma tese. Sacanagem dizer que vira tese qdo vc está escrevendo uma né? rs Esquece essa parte. Qto a observação da sentimental, tem que ser naipes diferentes não? Pra “encaixar”. rs bjobjo

  8. Moça, você não presta!
    :o)

  9. Pingback: Insônia « Quitanda

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s