Sobre os românticos

Outro dia um amigo me disse que tenho uma ‘abordagem’ romântica da vida. Seja lá o que isso queira dizer, para mim parece que essa ‘abordagem’ se traduz em algumas poucas três coisas, nenhuma delas identificada com clichês melosos que acompanham pombinhos apaixonados. Primeiro: eu acredito em lealdade. E me sacrifico – ou tento me sacrificar – pelos meus amigos, ou pelo menos por aqueles que algum dia foram capazes de algum sacrifício por mim. Segundo: eu também acredito no melhor das pessoas. E a menos que a experiência me prove o contrário, nunca vou pensar mal logo de cara, o que não quer dizer que sou ingênua – pelo contrário. Portanto, nada de novo a acrescentar ao que eu já vinha dizendo antes: nada de esperar que alguém vá aparecer e preencher as minhas fantasias – até porque, elas existem para serem apenas e tão somente isso: fantasias. Nada de acreditar no amor incondicional ou devocional – esse está restrito às divindades e aos santos. Saber que paixão é bom sim – faz a adrenalina correr solta, dá um tremelique bom, mas tem as suas restrições. É fugaz, é tênue. Quem souber aproveitar o que ela tem de melhor, sem esperar que a eternidade se materialize a seus pés, terá bons momentos pra se lembrar na vida.

Ah, e quanto à terceira coisa? Bem, essa tem a ver com certo gosto musical. Porque, se ouvir tango e bolero e suspirar pela beleza/tristeza/dolência que as letras evocam tem a ver com romantismo, bem, aí sim. Eu sou uma romântica e tanto.

Advertisements

12 Comments

Filed under Uncategorized

12 responses to “Sobre os românticos

  1. eu tenho meu lado poliana de ser e não vou deixar tão cedo, a não ser q a sacanagem seja muuuuuito grande, fora isso eu sou romântica sim e pronto. rs
    bjs

  2. Bella

    So am I! Oi, sou eu aqui! Já q vc reclamou, apareci!

  3. CariocaExilado

    Romântica ou não, você é o que é. Adorei cada segundo e milímetro do seu ser. Por mais diferente que possa ser do meu.

  4. isso foi algo lindo de se dizer, querido.

  5. Gulossita

    Romântica ou não, você é o que é. Adorei cada segundo e milímetro do seu ser. Por mais diferente que possa ser do meu.(2)

  6. hum, esse post está ficando muito sentimental…. 🙂

  7. CariocaExilado

    Fui plagiado!

  8. Carioca, um dia me disseram q ser plagiado deve ser encarado como privilégio, sendo assim…… rs
    bjs

  9. CariocaExilado

    Concordo com você! O plágio era uma brincadeira, o significado das poucas linhas, não.

  10. ah sim, o significado das poucas linhas eu tinha certeza q não era brincadeira, não tem como ser qndo se fala da Cris. né?
    bjs

  11. Ah! Não poderia ter colocado de maneira melhor, e sob esse ponto de vista sou a maior romântica também.Concordo plenamente com seu ponto de vista. E sob esse olhar, também sou a maior romântica. A única diferença é que acredito em amor incondicional, sim. Mas um amor que se transforma, que passa do amor-cara-metade pra amor-melhor-amigo, amor-irmão, e vai se transformando, transformando… Amor incondicional também inclui amar tanto a outra pessoa para liberá-la fazer o que ela acha melhor, sem ter que pararmos de amá-la por conta disso…
    (tá vendo como você me faz pensar também? rs)

  12. me lembrou da bozena, que certa vez disse: “que posso fazer se me alegro com musica triste?”
    hahaha.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s